domingo, 13 de agosto de 2017




LANÇAMENTO 




Isabelle, a Vampirelle



Entrevistada pela Revista Calafrio, editada por Daniel Saks






Com as autoras Dione M S Rosa e Bianca Luna



Tentando morder a Tia Rossana



Com Rubens F. Gonçalves e a Revista Calafrio




O autor e organizador da antologia Adriano Siqueira








Com o namorado Guilherme Confortim




Com o editor da Calafrio e Mestres do Terror Daniel Saks

segunda-feira, 31 de julho de 2017



O FANZINE DA "VAMPIRELLE"

DISPONÍVEL NO ESTANDE DO LITERATIBA DIA 12 DE AGOSTO DE 2017 DA VAMPIRELLE (DIONE M.S.ROSA E ADRIANO SIQUEIRA)


VAMPIRELLE ADORA LOOK DE ESTRELA DE CINEMA ANTIGA COMO INGRID BERGMAN EM "CASABLANCA"


VAMPIRELLE LENDO O LIVRO COM A SUA CAPA


MUITAS SURPRESAS E AUTORES SENSACIONAIS


A CAPA DO FANZINE


VAMPIRELLE RECOMENDA "NAGA" DE DIONE M.S. ROSA"



VAMPIRELLE RECOMENDA "A PROSA GÓTICA DE ÁLVARES DE AZEVEDO EM NOITE NA TAVERNA"



terça-feira, 11 de julho de 2017






VAMPIRELLE ESPERA SEUS FÃS DIA  12 DE AGOSTO NO LITERATIBA PARA CONVERSAR, FALAR DA CAPA DO LIVRO "O SANGUE DOS VAMPIROS" E SOBRE O CONTO QUE ESTÁ NA OBRA.
MUITAS SURPRESAS PARA OS FÃS: FANZINE E UMA LEMBRANÇA MUITO ESPECIAL!





                                           https://www.facebook.com/vampirellevampira/

sexta-feira, 7 de julho de 2017

segunda-feira, 3 de julho de 2017

Vampirelle Indica: Livro - "Visconde de Souto Ascensão e "Quebra" no Rio de Janeiro Imperial"

Vampirelle indica o livro: 
"Visconde de Souto Ascensão e "Quebra" no Rio de Janeiro Imperial"




O Comendador Francisco Souto Neto fala sobre o seu novo livro "Visconde de Souto
Ascensão e "Quebra" no Rio de Janeiro Imperial" da Editora Prismas, que será lançado em setembro de 2017 - entrevistado por Adriano Siqueira

FRANCISCO SOUTO NETO - O comendador Francisco Souto Neto trabalhou no extinto Banco do Estado do Paraná S.A. até aposentar-se, onde exerceu as funções de inspetor, assessor da diretoria, da presidência e assessor para assuntos de cultura. Filho do jornalista e radialista Arary Souto (1908-1963) e Edith Barbosa Souto (1911-1997), é advogado e jornalista, com colunas em jornais e revistas desde os anos 70. Tem integrado diretorias e conselhos consultivos e administrativos de diversas entidades, sobretudo de órgãos oficiais ligados à cultura paranaense. Foi-lhe outorgado o título de comendador pela Associação Brasileira de Liderança (São Paulo). Recebeu o "Troféu Imprensa do Brasil 2014" e também o "Prêmio Excelência e Qualidade Brasil 2015" na área da Cultura, como “Destaque entre os melhores do Brasil”. Em novembro de 2016 recebeu mais uma vez o Troféu Imprensa Brasil, seguido do Prêmio Cidade de Curitiba, e ainda do Top of Mind Quality Gold. É membro da Academia de Letras José de Alencar, em Curitiba, onde ocupa a Cadeira Patronímica nº 26.





Assista o vídeo com a entrevista sobre o Comendador Francisco Souto Neto, o escritor da obra,


https://www.youtube.com/watch?v=XjuhvXQGZVk


Se você quer que a Vampirelle indique um livro, fale com a gente.
Contato: vampirelle2017@gmail.com



segunda-feira, 12 de junho de 2017

Contos da Vampirelle - O Fã de Vampirelle -



O Fã de Vampirelle
Autores: Adriano Siqueira e Dione M. S. Rosa


        Estava no meu quarto deitado na cama com o notebook no colo. Escrevia as últimas linhas do meu diário sobre Vampirelle. Hoje eu a vi em um vídeo na internet postado por um anônimo. O vídeo não tinha muita nitidez e mostrava a vampira atacando muitos homens, deixando-os inconscientes no chão.

       Fico imaginando como ela consegue todo aquele poder, a velocidade e a agilidade deixando os homens sem reação. Ela tem uma força extraordinária. O impacto de seus golpes arremessam longe os adversários em muitos metros de distância. O incrível é que nem olha para eles. É como se não fossem o seu foco real. A luta levou apenas quinze segundos e mais de oito homens foram executados naquele local.

       Não sabia exatamente onde era aquele lugar. Parecia uma rua repleta lojas de roupas no centro de Curitiba. Mas em frente àquela loja havia alguns homens armados e não sobrou nada deles ou de suas armas. Todas foram quebradas por Vampirelle e os pedaços estavam no chão por toda a loja. Havia algumas pessoas aplaudindo e uma menininha pulava com alegria como se a vampira fosse um ídolo. Ela realmente possuía muitos fãs. O vídeo terminou com ela olhando para a câmera num close de vitória e um sorriso mostrando seus proeminentes caninos. Muita gente copiou o vídeo e mandou-o para a TV. O rosto dela olhando para a câmera foi a parte que mais me chamou a atenção. Um dia gostaria de conhecê-la pessoalmente. Ela era simplesmente instigante!

       Não sei de onde ela veio e o que quer nessa cidade. Não é sempre que vampiros se destacam na vida real. Normalmente eles aparecem em filmes ou livros, e assisti a vários. Recordo-me da força do Drácula e de seus poderes. “Drácula, a história nunca contada” mostrou um homem que fez um pacto e adquiriu poderes fenomenais para enfrentar seus inimigos. Fico imaginando se a Vampirelle tem realmente tantos poderes bem que ela poderia ajudar a humanidade. Será que ela se mostraria ou se manteria neutra atuando apenas em Curitiba?

      O meu diário estava bem completo. Um dia poderia publicar um livro sobre ela, se quisesse. Vampirelle é uma personalidade pública muito famosa, certamente o pessoal compraria o livro para saber mais dela. Eu queria vê-la pessoalmente. É meu sonho. Será que é amor platônico? Algo impossível de acontecer. Sonhar faz-me ficar mais perto dela. Espero um dia que ela saiba quem eu sou e que a quero bem. Espero não ser somente mordido e deixado de lado como fez com suas vítimas.

      Vampirelle deve ser temperamental e não acredito que as pessoas lhe dirijam a palavra. Ela não parece ser muito fácil de se entender. Acho que os humanos terão medo de falar com ela com receio de ela possa voar no pescoço deles saciando a sua sede.

     Tenho visto nas redes sociais que os psicólogos alertam o perigo de se apaixonar por alguém platonicamente. Mas não tem jeito, pois eu já estou apaixonado por ela. Imagino o seu poder misturado à sua sede em destruir as pessoas criminosas por perto. Muitos pedem cautela, outros querem que ela se afaste. Muitos a admiram e querem ser amigos dela. Outros tantos almejam ser vampiros como Vampirelle. Mas há outros excêntricos pedindo a ela para entrar em um grupo e tomar o sangue de qualquer um para se alimentar.

       Não vejo comentários de caçadores, mas sei que eles estão preparados para destruí-la assim que tiverem oportunidade. Mas nada disso parece incomodar Vampirelle. Ela nunca dá entrevistas. Aparecem apenas imagens dela e alguns vídeos. Alguns tentam difamá-la, mas mesmo assim ela se mantém incógnita e não se pronuncia. Foi feito um programa de TV especial para falar dela contendo opiniões populares de muitos fãs, advogados, pessoas do exército e da polícia. Lembro que nesse programa, o apresentador disponibilizou o número do telefone na tela para ver se ela ligava para o programa, a fim de conversar com o público, mas foi em vão. Vampirelle não ligou.

       Fico preocupado se ela não aparecer mais em público e sumir de vez. Quantas pessoas sentiriam a sua falta devido às brigas que ela comprou, mas ainda há os que dizem absurdos dela. Muitos querem que continue aparecendo nas horas difíceis, desarmando gente malandra e bandidos. A vampira chamou a atenção de todos, os quais ficam muito empolgados com sua presença. Ela é uma luz de justiça que brilha em meio aos crimes e é a personalidade mais procurada da mídia.

       Eu vi uma empresa mencionando que queria fotógrafos em seu encalço, bem como policiais para caçar a Vampirelle e que estão dispostos a pagar uma fortuna para quem tirar fotos dela e a encontrar.

       Dizem que ela aparece para quem realmente deseja. Será que ela quer que o mundo a conheça ou não? O certo é que não se fala em outra coisa. Alguns sugerem que ela veio do espaço e outros acham que é um espírito ou um humano que foi produzido para fazer algum tipo de propaganda para um livro ou um filme.

       Essa vampira é um mistério para todos.

      Bem... estou muito cansado de tanto imaginar coisas sobre Vampirelle. Chegou a hora de dormir. Olhei para a janela e vi luzes se acenderem na cidade.  Moro no sétimo andar e tenho uma boa visão dos prédios e do céu repleto de estrelas.

     Deitei-me na minha confortável cama e, ao me virar, vejo na janela uma sombra aparecer. Aos poucos se delineiam cabelos balançando ao vento. Estou sonhando? Posso jurar que vi a silhueta de uma mulher na minha janela. Virei-me para o outro lado, mas continuei vendo uma sombra na parede. Tomei coragem e olhei novamente. Eu não acreditava no que estava vendo. Era ela. Vampirelle abriu a janela do meu quarto e entrou. Aproximou-se de mim e olhou-me longamente, enquanto permaneci petrificado. Não sorriu, apenas ficou me encarando com aqueles olhos grandes, castanhos e bem pintados com delineador e longos cílios postiços, enquanto o quarto todo se inundou do seu delicioso perfume.

      Depois ela olhou para cima e, num passe de mágicas, levitou suave e lentamente desaparecendo como fumaça pelo teto. Eu queria gritar e pedir para não ir embora, mas não consegui. Tinha tantas perguntas a fazer, mas fiquei em completo silêncio. Depois corri até a janela ver se havia algum sinal dela, mas foi em vão.

       Eu jamais esqueceria aquela noite e nem dela, a vampira Vampirelle. Agora dormiria em paz com aquela visão amparadora e estonteante.